2015

AÇÃO DE REGRESSO RECUSADA - CONTENCIOSO

  • Ação de Regresso é o meio judicial para cobrar o ressarcimento de prejuízos causados por terceiros
  • Hoje, a Funcef paga por uma dívida que é da Caixa: o CONTENCIOSO
  • Em 2015 o conselheiro deliberativo Antônio Fermino propôs Ação de Regresso contra a Caixa para pagar contencioso
  • O assunto desapareceu da pauta

2016

INÍCIO DO 1º EQUACIONAMENTO PARA REG/REPLAN SALDADO PELO VALOR MÍNIMO: 2,78%

  • Equacionar pelo valor mínimo é uma forma de enganar o participante, aumentando sua dívida no longo prazo
  • A sensação é que o impacto será menor mas, na verdade, funciona como pagar o mínimo do cartão de crédito. O valor remanescente continua crescendo

2017

DESESTRUTURAÇÃO DO CREDPLAN COM PRESTAÇÕES MAIORES

  • As taxas altas
    • INPC + 6,2% a INPC + 7,7% ao ano
    • Limite de R$ 95 mil
    • Período máximo de 96 meses
    • Taxa de administração de 0,5% ao mês sobre o valor da parcela
  • Prestações mais elevadas
    • Sistema de amortização mudou de PRICE para SAC, o que deixou as prestações mais elevadas

ATRASO NO RESGATE PDVE

  • Participantes que aderiram ao Plano de Demissão Voluntária da Caixa (fev/17) esperaram 3 meses para resgatar reservas no Novo Plano e REB
  • Os participantes ficaram refém da burocracia e da falta de planejamento

ASSINATURA DO TAC – QUEBRA DA PARIDADE NÃO SALDADO

  • Todos os diretores eleitos assinaram o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que quebra a paridade no equacionamento do Não Saldado.
  • Os participantes pagarão mais que a patrocinadora.
  • Para equacionar os deficit de 2015 e 2016, a contribuição extraordinária pode chegar a 39,37% do benefício do assistido.
  • A quebra da paridade prejudica os participantes do Não Saldado, abre precedente para retirarem a paridade de outros planos e gera insegurança aos participantes.

BALANÇO DE 2016

  • Funcef demorou 8 meses para divulgar o balanço
  • Morosidade e a falta de transparência prejudicou os participantes:
    • Desatualização das cotas do Novo Plano e REB
    • Atraso nos resgates do PDVE

INÍCIO DO 2º EQUACIONAMENTO PARA REG/REPLAN SALDADO (PELO VALOR MÍNIMO): 7,9%

CONTA DO CONTENCIOSO SÓ CRESCE

  • O contencioso é o maior fator isolado de deficit dos planos de benefício, e os diretores não fazem nada para cobrar a Caixa
  • De janeiro a setembro de 2017, o contencioso aumentou R$220 milhões
  • O valor provisionado chega a 2,5 bilhões
  • O problema é muito maior: o total de perda possível, que tem probabilidade de perda em 50%, está em 15,3 bilhões
  • O problema é grave e prejudica todos os participantes porque impacta diretamente nos benefícios dos planos

REDUÇÃO DA META ATUARIAL

  • A Funcef reduziu a meta atuarial de 5,5% para 4,5%
  • Alterar a meta na atual conjuntura com deficit na fundação é um equívoco
  • A medida foi tomada para dar conforto aos diretores, que terão menos compromisso com o resultado e cobranças por rentabilidade
  • Quem vai pagar a conta desse conforto são os participantes pois a redução da meta vai diminuir 10% do benefício futuro dos participantes
  • A redução causa prejuízo para todos os planos:
    • Novo Plano e REB não têm deficit, mas terão benefícios reduzidos em 10%
    • REG/Replan Saldado e Não Saldado poderão sofrer descontos nas contribuições extraordinárias.

2018

INÍCIO DO 3º EQUACIONAMENTO PARA REG/REPLAN SALDADO PELO VALOR MÁXIMO: 9,59%

  • Com o terceiro equacionamento, os descontos no benefício já chegam a 23%
  • A decisão de equacionar pelo máximo, sem aumentar o prazo, é penosa para o participante
  • A intenção é limpar o balanço para facilitar a privatização da Caixa, às custas do participante

QUEBRA DA PARIDADE CONFIRMADA NO REG/REPLAN NÃO SALDADO

  • Os participantes do Não Saldado vão pagar o equacionamento de 2015 e 2016 juntos, sem paridade da Caixa
  • Os descontos devem começar em março e vão durar até os próximos 20 anos